30 de outubro de 2009

Já é tempo de Natal (por Victor Lambertucci)

JÁ É TEMPO DE NATAL

Já é natal. Você já deve ter notado que, para os lojistas, o Natal começa um pouco mais cedo, mais precisamente, uns 3 meses mais cedo. Logo após a semana das crianças, os enfeites natalinos e as centenas de opções de presente começam a aparecer.


 foto: Victor Lambertucci

 Tudo começa assim, primeiro é um pedacinho tímido da vitrine, depois, quando você se dá conta, até o extintor de incêndio está enfeitado. Não só o Natal, mas muitas festas religiosas tem perdido, com o tempo, o seu real significado. Além da festividade natalina, a páscoa é um bom exemplo, já que o coelhinho da páscoa tomou o lugar da imagem divina. O mesmo ocorre em Dezembro. Experimente sair perguntando: "O Que simboliza o Natal?". Certamente, a maioria das respostas será: "O Papai Noel".

Não que não seja lindo ver o comércio e as cidades todas enfeitadas ou que o Papai Noel tenha que ser esquecido, mas é preciso resgatar a essência do Natal e de outras comemorações, que tem ficado de lado. Que o Natal continue começando em Outubro, que se dê presentes, que o comércio se aqueça, mas que tenhamos em mente e em nossos corações o espírito natalino e que não deixemos que ornamentos se sobreponham através dele.

ASSISTA AO NOVO CLIPE DE BRITNEY SPEARS

Chega de ansiedade! Assista ao clipe da nova música da Pricesinha do Pop, 'Three', que acaba de ser lançado oficialmente pelo site BritneySpears.com. Acompanhe também a letra deste novo sucesso:







THREE - Britney Spears

1, 2, 3
Not only you and me
Got one eighty degrees
And I'm caught in between
Countin'
1, 2, 3
Peter, Paul & Mary
Gettin' down with 3P
Everybody loves ***
Countin'

Babe, pick a night
To come out and play
If it's alright
What do you say?
Merrier the more
Triple fun that way
Twister on the floor
What do you say?

Are - you in
Livin' in the mess is the new thing (yeah)
Are - you in
I am countin'!


Three is a charm
Two is not the same
I don't see the harm
So are you game?
Lets' make a team
Make 'em say my name
Lovin' the extreme
Now are you game?



What we do is innocent
Just for fun and nothin' meant
If you don't like the company
Let's just do it you and me
You and me...
Or three....
Or four....
- On the floor!


17 de outubro de 2009

Ele adivinha [quase] tudo que você pensa... (por Ítalo Mendes & Victor Lambertucci)


O que é, o que é: ele lê seus pensamentos e está fazendo grande sucesso na internet. Sabe de quem estamos falando? Ele, certamente, saberia. Eu estou falando do Akinator, o gênio da internet. Este personagem virtual é capaz de descobrir a personalidade a qual você tem em mente através de poucas dicas, seja ela real ou não.

É como no jogo Perfil, em que os participantes devem deduzir, a partir de algumas dicas, a pessoa, o lugar, o ano ou a "coisa" em questão, só que, no caso de Akinator, ele não tem nenhum ponto de partida e não sabe sequer se trata-se de um personagem real ou fictício. É somente através de suas perguntas que ele se direciona no assunto e consegue um alto e inacreditável índice de acertos.





Acesse já http://pt.akinator.com/, experimente e deixe aqui sua opinião sobre nossa dica. Agente espera seu comentário! Divirta-se!



ESCLARECIMENTO: Já há uma versão em português do "Akinator" disponível, cujo link encontra-se acima.

Curiosidades: Por que o leite derrama ao ferver?

Por que o leite derrama ao ferver?

Quando a temperatura do leite chega perto dos 100º C, a água que ele contém se transforma em vapor, a começar pelo fundo da panela, que, por estar mais perto do fogo, é onde a temperatura é maior. As bolhas de ar sobem até a superfície, mas ficam presas pela película formada pela gordura e pelas proteínas do leite. O vapor vai empurrando essa película para cima na forma de espuma até que ela ultrapasse a altura da panela e comece a transbordar. Ao se ferver água, as bolhas não encontram obstáculo que lhes impeça de escapar para a atmosfera. Para evitar que o leite derrame, o único jeito é mexê-lo constantemente com uma colher, de modo a romper a película e permitir que o vapor escape.

16 de outubro de 2009

Tudo por um par de ingressos (por Victor Lambertucci)

Tudo por um par de ingressos

Victor Lambertucci


Diz-se que dois anos são suficientes para que um adolescente inconseqüente de dezesseis anos torne-se um adulto maduro e responsável de dezoito. Fomos até o local do show para comprar nossos ingressos. Muito entusiasmo e ansiedade. Cantarolando ou dando uma de super heróis no meio da rua. Corremos, atravessamos fora da faixa. Adrenalina. Vimos o emblema do estabelecimento, a foto de nosso ídolo. – É ali, vamos, vamos. – Duas entradas, por favor. – Camarote ou pista? – Como é a visibilidade? – Vocês podem ver lá dentro. O camarote é o andar superior. Tudo escuro. Bem diferente do grande dia, em que luzes e ornamentos estão todos prontinhos para receber o público. Subimos as escadas, um breu danado. Lembramos de um amigo que quase deu com a cara no chão descendo as escadas a pouca luz. Rimos e quase fizemos o mesmo. Muitas mesas. Será que vamos poder usá-las? Descemos. Estamos bem pertinho do palco, onde vamos agarrar o pé da cantora e nada de soltar. Retomando a compra dos ingressos, saímos aflitos, hora de acabar logo com isso, ingressos garantidos. Garantidos que nada: - Vocês são menores. Mas, no site a classificação era de dezesseis anos. Sim, mas já havia sido modificado. Um show de MPB, classificação dezoito anos. Deve ser por causa do “streap tease” que a cantora vai fazer no fim. Bobagem. Estamos contrariados. Quanto ódio. E agora, como fazemos pra participar? – Vocês vão precisar de uma autorização registrada em cartório, diz a vendedora sem muitas esperanças que compareçamos novamente. Tudo bem, fazer o que. Talvez, pegar a vendedora pelo pescoço... Não, ela só está cumprindo sua função. Que sede! Paramos para tomar alguma coisa. Já voltávamos para casa, desiludidos. – Meu pai vem nos buscar, vamos esperar. A lanchonete vira o sofá de casa. Mas, puxam nossas cadeiras, hora de fechar a loja, se não vão consumir mais nada podem se retirar. Foi o que deixou de dizer o dono dos salgados e dos refrigerantes. E da cadeira que a gente ocupava. Vamos procurar outro lugar para sentar, fomos despejados. Que exagero. Talvez na praça. Não. Está à noite já. Melhor não arriscar. Atravessamos fora da faixa. Vamos andando comentando. O show, o ingresso, o salgado, a cadeira, a derradeira decepção. A carona chegou, vamos para casa. – E aí, compraram as entradas. Não. Tchau até amanhã. Meu companheiro de ingresso fica em casa. Tem aula amanhã. Fim de semana à vista, sexta-feira. Estamos decididos a ir ao bendito cartório. Terça não temos compromissos com a escola. Feriado prolongado. Ainda bem. Dia de ir ao cartório. Minha mãe e o pai do meu companheiro de ingressos (lembram dele?) vão nos acompanhar. Vamos sair. Não tem tinta na impressora. Troca de roupa. Salva no dispositivo de armazenamento portátil, ou pendrive, como preferir. – Meu pai já está no cartório. Nem saímos de casa. Vamos à gráfica imprimir a autorização. Minha mãe vai descendo pro ponto. Preguiça de andar até a gráfica, porque segurar o ônibus é que ela não vai. Tudo bem, encontramo-nos (muito formal, mas...) daqui a pouco, coloca isso na sua bolsa, por favor. Três quarteirões depois chegamos em nosso primeiro destino. Dez centavos cada cópia. Está vazio. Vamos... Só um momento. Cabeça de vento. Lembram do “isso” que foi colocado na bolsa por favor? Era o dispositivo de armazenamento portátil. Não caiu a fixa ainda? As autorizações estavam salvas lá. Três quarteirões de volta, subindo, mais quase dois descendo. – Oi, mãe. Notícia boa. Tem uma coisa que ficou na sua bolsa, o pendrive. No centro deve ter um lugar para imprimir. O forno azul ambulante chega. Muito calor. Foi rápido. Descemos. Andamos. Secretaria da Fazenda. Francisco Sales. Loja de Xerox. Não fazem impressão. Estamos do lado do cartório. Recebemos a informação de que há uma loja que satisfaz nossa necessidade, a de imprimir as autorizações. Impressão via USB. Tudo num envelope. Fila. Muita gente. – Aqui é sempre cheio, disse um senhor que nos espreitava. – Só autenticação. – Eu!. – Isso é “reconhecimento de firma”. Voltamos para fila. Pequena Confusão. Nossa vez. Tudo muito rápido. Só um detalhe o pai do outro teve um compromisso, mas já retornava para o cartório. – Tudo bem, quando ele chegar é só me chamar que a gente faz o seu. Espera. Espera. Ele está chegando. Espera. Ele chegou. Cumprimentos. Uma mulher de azul. Não, era roxo. Era um azul quase roxo, chegamos a um consenso. Era a “presidenta” do cartório, ouvi alguém falando. “Presidenta” do cartório. Fiquei imaginando. Atrás do balcão, aqueles que têm o poder nas mãos. Uma assinatura que “autentica”, “reconhece”, invalida documentos, queria trabalhar no cartório, só pra dizer uma vez: pedido negado, ou, só pra carimbar, colocar minha assinatura e validar um mero papel que se torna documento reconhecido perante a justiça. Empolguei. O poder me subiu a cabeça. Imagina como deve ser gostoso passar horas em pé carimbando e selando papeis, e pior, aturando gente apressada e impaciente. As autorizações estão prontas. O carimbo e os selos estão no papel. Temos um documento. Três e noventa cada um, mais ou menos. Valeu a pena. Dia de comprar os ingressos. - Lembra da gente? – Isso é que é fã. Camarote ou pista? Vamos olhar de novo. Escuridão. Escadas. Quase de cara no chão mais uma vez, fazer o que, eu nem pensei em levar uma lanterna. Tudo ainda sem ornamentos, mas com a mesma emoção. Ficaremos aqui, na melhor mesa, no melhor ângulo. “Ando com minha cabeça já pelas tabelas...” Entrando no clima. Meu colega senta no palco. Estava se sentindo um pouco. Emocionante. Vamos embora. Pega os ingressos. Estou sem carterinha de estudante. Mas, ela se lembra da gente. Será que ela...? – Sessenta reais tudo. Sessenta reais, mais transporte, mais gastos com a autorização. Valeu à pena. Ela não pediu a carteirinha. Compramos. Estamos satisfeitos. Olha só meu ingresso! Agora é só esperar o grande dia. E que seja o grande dia, porque ingressos difíceis como esses, nunca mais.

Erros de Gravação: BG Entrevista: "A Verdade Nua e Crua" (por Victor Lambertucci)

ERROS DE GRAVAÇÃO

Se você ainda não viu a entrevista, vale a pena assistir:
http://bloggeralonline.blogspot.com/2009/10/bg-entrevista-verdade-nua-e-crua.html

Você que gostou do BG entrevista não pode
perder os erros de gravação do programa.

ASSISTA e COMENTE:

video

Por Favor, deixe seu comentário.

Mulheres: Por que será que elas...? (por Ítalo Mendes)

... usam roupas de abotoar atrás? ... precisam de vinte e seis tipos de xampu? ... levam tão a sério o horóscopo e as cartas do tarô? ... acham normal fazer quatro coisas ao mesmo tempo?

Estas são apenas algumas das vinte e duas perguntas feitas pela jornalista Leila Ferreira (e que, de acordo com a prórpia autora, não tem repostas) em seu livro, que recebe o mesmo nome desta postagem.


Neste livro, da Editora Globo, a jornalista trata de temas que fazem parte do universo feminino de uma maneira inteligente e bastante humorada. "O livro Mulheres: Por que será que elas...? de Leila Ferreira, me fez dar boas risadas. Em quantas situações iguais já estive, por quantos sufocos iguais já passei, o que não fiz no capítulo cabelos, meu Deus? Mas o que interessa é que o livro de Leila vai fazer você rir, sorrir, dar risadas, gargalhar, e o melhor que posso dizer dessa deliciosa leitura é que ela é a cara da escritora, com seu sorriso sempre aberto para a vida", diz a jornalista e escritora Danuza Leão.

Para escrever o livro, Leila Ferreira passou por bares, restaurantes, salões de cabeleireiro e clínicas de estética, entre uma infinidade de outros locais e conversou com mais de 50 mulheres descobrindo histórias inusitadas e, no mínimo, curiosas.

E não pensem que esta obra é apenas do interesse das mulheres. Nós, homens, também podemos nos divertir e também refletir sobre os mais variados pontos propostos pelo livro (sim, este livro também abre espaço para boas reflexões).

Leila Ferreira


Para aqueles que ficaram curiosos, aí vai um trecho de dois capítulos da obra, '... precisam de vinte e seis tipos de xampu?' e '... hidratam seus cotovelos?':

"Recentemente, na casa de uma amiga, avistei ao lado do chuveiro um 'xampu disciplinante'. Fiquei por entender. Minha amiga tem um temperamento extremamente dócil e nunca soube de um ato de indisciplina cometido por seus cabelos. Se continuarmos assim, daqui a pouco vamos ter xampus para cabelos com déficit de atenção, com distúrbio bipolar, com síndrome de pânico, xampus de linha lacaniana, de linha freudiana, xampus de regressão, que detectam as raízes do nosso problemas capilares em vidas passadas, e por aí vai..."

"O spray [para os seios] promete deixar o busto bem durinho, mas tembém por tempo limitado. Ou seja: você borrifa o produto (caríssimo), põe um vestido de alcinhas sem sutiã (oh, glória!), sai para jantar com o homem dos seus sonhos, e ele, querendo impressionar, pede vinho, entrada, prato principal, sobremesa, cafezinho, licor... Resumo da ópera: quando vem a conta, os seios já estão começando a murchar. Quando vocês chegam à casa dele, ou à sua, ou à outro cenário qualquer, a situação já ficou crítica. Aí, o que é que você vai fazer? Vai dizer 'com lisença, tenho que ir ao banheiro porque meu peito caiu'?"

Além de tudo isso, 'Mulheres: Por que será que elas...?' conta com depoimentos e histórias tão absurdamente engraçadas que, embora sejam de verdade, parecem pura ficção.

15 de outubro de 2009

ÚLTIMOS INGRESSOS À VENDA

Quem curte MPB não pode perder a apresentação de Roberta Sá, em Belo Horizonte, no próximo sábado, dia 24. A cantora e compositora carioca empresta sua voz a grande sucessos da Música Popular Brasileira e apresenta suas mais recentes composições, em seu novo álbum, "Que belo estranho dia para se ter alegria".

O show acontece no Music Hall, localizado na Av. do Contorno, 3239 - Bairro Santa Efigênia. Os ingressos já encontram-se no segundo lote, segundo informações da bilheteria do local, procurada pelo Blog Geral. Os ingressos e seus respectivos valores estão relacionados abaixo:

Ingressos*

Pista
R$ 50,00 Inteira
R$ 25,00 Meia entrada

Camarote
R$ 60,00 Inteira
R$ 30,00 Meia entrada

Mesa 1º piso
R$ 70,00 Inteira (VALOR INDIVIDUAL)

*Qualquer variação dos valores é responsabilidade do estabelecimento, acompanhe as possíveis modificações no site do mesmo.

O Blog Geral marcará presença neste evento e trará, posteriormente, todas as informações sobre a apresentação da cantora Roberta Sá, que promete sambar como ninguém. Garanta já seu ingresso!

Mais informações no site: http://www.musichallbh.com.br



14 de outubro de 2009

BG entrevista: "A Verdade Nua e Crua"



Quem se liga no Blog Geral deve se lembrar do casal Débora e Ivan. Eles participaram da postagem sobre o filme "A Verdade Nua e Crua" dando sua opinião. Agora, você pode conhecê-los melhor e saber um pouco mais sobre o filme. CONFIRA O VÍDEO:

video

ERRATA: No vídeo acima, o editor do Blog Geral utilizou a palavra "expectador" incorretamente. Débora Mendonça é a "espectadora" (Aquela que assistiu ao filme) e não "expectadora" (que seria bem utilizada se houvesse expectativa de algo). O BG se desculpa e pede a sua colaboração. Se você encontar quaisquer incoerências nas nossas páginas, deixe um comentário, assim, fazemos um blog cada vez melhor.

Créditos


apresentação
ÍTALO MENDES

edição e arte
VICTOR LAMBERTUCCI

entrevistados
DÉBORA MENDONÇA
IVAN CALAIS


Realização

PODE ESPERAR, VEM MUITO MAIS POR AÍ!

11 de outubro de 2009


ABELHAS E OUTROS INSETOS



O que mais intriga os estudiosos e cientistas é a forma como a maioria dos insetos conseguem voar. Segundo eles, não há explicação para o voo desses animais.

Durante anos, pouco se sabia sobre o mecanismo presente nas asas destes seres. Você já deve ter ouvido falar que, de acordo com as leis da aerodinâmica, uma abela não poderia voar. Mas, na verdade, o que acontece é que os principios de voo dos insetos sãobem diferentes dos fundamentos da voo para aviões, por exemplo. "Diferente das aeronaves da asas fixas, que têm uma dinâmica de fluxo estacionária e quase sem viscosidade, os insetos voam em uma mar de vórtices, rodeados por minúsculos turbilhões e redemoinhos que são criados quando movem suas asas", disse Z. Jane Wang, física da faculdade de engenharia da Cornell University. Um turbilhão é um redomoinho da ar criado pela asa e o ar, dentro do turbilhão, flui na direção oposta à da corrente principal de ar.

 

Os turbilhões criados pelas asas dos insetos, os mantêm em voo. O grande erro do meio científico, foi estudar os insetos como se o mecanismo deles fosse idêntico ao das aeronaves, no entanto, suas asas não são plataformas estáticas como as dos aviões, elas se movimentam a todo tempo.


As asas das abelhas, por exemplo, são rígidas na frente e mais flexíveis e dobráveis na parte de trás, e, assim, permitem que elas vençam a resistência do ar.

 

Os futuros miniaviões comandados por controle remoto poderão alcançar dimensões similares às dos insetos, caso também aproveitem este mesmo pricípio.


Não perca a próxima postagem da série: 
"O voo dos Pássaros"

 

TOP 3 comédia - Os melhores vídeos no Blog Geral



TOP 1 - "Vanusa cantando Hino Nacional"


TOP 2 - "Funk do Jeremias"


TOP 3 - "Me dá meu chip Pedro!!!"

10 de outubro de 2009

Nas locadoras: "Heróis" (por Victor Lambertucci)

"HÉROIS"
'...diversão e emoção garantidas.'




Informações Gerais:

Título original: "Push"
País de origem: EUA/Reino Unido/Canadá
Gênero: Ficção
Ano de Lançamento: 2009
Direção: Paul McGuigan
Elenco: Camilla Belle, Chris Evans, Dakota Fanning, Djimon Houson
Distribuição: Paris Filmes
Duração: 1h 51min

Que no mundo existem pessoas umas diferentes das outras ninguém duvida. Mas, existem algumas ainda mais especiais, que vivem entre nós sem ao menos desconfiarmos. Elas possuem habilidades incríveis, como a de nos persuadir e nos fazer acreditar em fatos que nem se quer existem. Podem prever o futuro e dizer exatamente como iremos morrer ou, ainda, causar grandes destruições e reanimar aqueles que melhor lhes convir.

Estas são as personagens do filme "Heróis", que apresenta uma incrível e bem feita mistura de gêneros, de ação à ficção, causando também alguns calafrios.

O filme conta a história de pessoas com habilidades especiais que estão sendo ameaçadas pela "Divisão", um órgão que quer controlá-las e as tranformar em máquinas de controle absoluto sobre o mundo.





Cassie Holmes (Dakota Fanning), uma "vidente", vai ao encontro de Nick Gant (Chris Evans) e, juntos, precisam, sem muitas pistas, seguir o plano da mãe de Cassie, que se encontra sob o poder da "Divisão". A aprisionada, também uma "vidente", passou anos bolando a estratégia que promete libertar os "Hérois", para que possam viver sem a ameaça da instituição que anseia controlá-los.

Diversão e emoção garantidas. "Heróis" é um daqueles filmes que, apesar do título que mantém pouca relação com o enredo, 'te prende' até o final, se bobear, você não levanta antes dos créditos acabarem.

ASSISTA AO TRAILER: (excelente por sinal)


Já assistiu? COMENTE!
O que você achou da postagem? DEIXE SEU COMENTÁRIO!

8 de outubro de 2009

Série Voar é preciso: O Helicóptero (por Ítalo Mendes)


O Helicóptero



Projetado, inicialmente, por Leonardo da Vinci, os helicópteros são, hoje, fundamentais no transporte, combate a incêndios, plantações e operações militares, E, a cada dia, aumenta a importância do voo dessas máquinas, já que, em alguns casos, os helicópteros são os únicos transportes que podem atender o chamado, por serem o único meio de transporte aéreo capaz de ficar parado no ar, o que ocorre graças ao movimento de suas hélices.

Diante de tantas utilidades, você deve estar curioso para saber como os helicópteros funcionam!

Como não possuem asas, os helicópteros são dotados de lâminas de rotor, ou hélices, que passam a atuar como tais. Para atingir grandes altitudes, era necessário aumentar a rotação das hélices, o que fazia com que o helicóptero girasse no sentido contrário. Por isso, para dar mais estabilidade ao aparelho, foi criada uma hélice lateral, que produz uma força capaz de compensar o giro do corpo do helicóptero.

Estas asas rotativas, quando giradas pelo motor, geram sustentação e propulsão, indispensáveis em um voo. Esta sustentação é causada pela constante mudança de pressão - de alta para baixa pressão - (Princípio de Bernoulli), que, por sua vez, é causada por uma força de reação contrária (Terceira Lei de Newton) .

Na maioria das vezes, o helicóptero voa inclinado para a frente. Isso acontece, pois, num voo horizontal, a hélice é ajustada para que o ângulo de cada lâmina aumente a medida que elas se movem para a parte de trás de sua varredura.

Referência Bibliográfica: Jornal Estado de Minas/Gurilândia
Adaptação de Texto: Victor Lambertucci

VEJA O VÍDEO RELACIONADO: "Apache, arma mortal"


Não perca a próxima postagem da série:
"O VOO DOS INSETOS"


Blog Geral

O que você acha da ideia de novos editores frequentarem o BG?